Central de Notícias

Tópicos

Notícias gerais

Quinto caso de reinfecção por SARS-CoV-2 confirmada

   Compartilhar notícia

Os EUA confirmaram o quinto caso de reinfecção do SARS-CoV-2 até o momento em todo o mundo, sugerindo que a exposição ao SARS-CoV-2 pode não se traduzir em imunidade total garantida.

Este caso nos EUA era de um homem de 25 anos que foi infectado com duas variantes distintas do SARS-CoV-2 em um período de 48 dias. Depois de testar positivo para SARS-CoV-2 em abril de 2020, ele testou negativo em duas ocasiões subsequentes. Em junho de 2020, o paciente foi hospitalizado com sintomas graves de COVID-19, incluindo febre, dor de cabeça, tontura, tosse, náusea e diarreia. Ele testou positivo pela segunda vez. O paciente já teve alta do hospital e se recuperou da segunda infecção.

Sua segunda infecção foi mais grave, resultando em hospitalização com suporte de oxigênio, indicando que a exposição anterior ao COVID-19 pode não se traduzir em garantia de imunidade total.

 

 

Os autores afirmam que todos os indivíduos - previamente diagnosticados ou não - devem tomar precauções idênticas para prevenir a infecção com SARS-CoV-2.

Pelo menos quatro outros casos de reinfecção foram confirmados globalmente, na Bélgica, Holanda, Hong Kong e Equador. No entanto, apenas o caso de reinfecção do Equador apresentou resultados de doença piores do que a primeira infecção.

O relato do caso nos EUA foi publicado no Lancet Infectious Diseases.

Referências: Tillett RL, Sevinsky JR, Hartley. Evidência genômica para reinfecção com SARS-CoV-2: um estudo de caso. Lancet Infect Dis 2020. Publicado online em 12 de outubro de 2020. https://doi.org/10.1016/S1473-3099(20)30764-7.


Comentários

Responder
Marcos Leme
10 Nov 2020
O Lancet Infectious Diseases não é 100% confiável. Vamos esperar publicações de fontes mais conceituadas para fecharmos esse tema. Mais ainda todo cuidado é necessário. Dr. Marcos Leme
Responder
Alair Ferreira Ramos
10 Nov 2020
Eu mesmo me reinfectei duas vezes, ambas detectado por RT-PCR e documentos. Trabalho como médico em UTI Covid, muito contato. Meu intervalo foi de mais de 3 meses.
Responder
Djalma A Luz
10 Nov 2020
Acredito ser utopia acreditar em imunidade duradoura e não acreditar na capacidade de mutações do SARS-Cov-2. Os estudos na elaboração das vacinas já devem estar se antecipando a esses fatos. O processo é dinâmico e os cuidados na prevenção devem ser um contínuo. É o que penso... de mutações do SARS-Cov-2
Responder
Fatima Barbosa França Nogueira
10 Nov 2020
Boa tarde . SOU MEDICA E GOSTARIA DE SABER NO CASO DESCRITO ACIMA QUAL TESTE FOI POSITIVO E QUAIS TESTES FORAM NEGATIVOS NA PRIMEIRA APRESENTACAO DA DOENÇA. OBRIGADA.